Anuncios
ÚLTIMA HORA:

Senado brasileiro vai investigar massacre de índios isolados no Amazonas

Além da averiguação da denúncia do massacre de indígenas na região do Vale do Javari (Amazonas), os senadores vão verificar a suspensão das actividades das bases de protecção a índios isolados na Amazónia por parte da Fundação Nacional do Índio (Funai).

De acordo com o Portal Vermelho, o Senado brasileiro aprovou a realização de «uma diligência nos municípios amazonenses de Tabatinga e São Paulo de Olivença», tendo como objectivo averiguar a denúncia do alegado massacre de indígenas na região do Vale do Javari.

A autora do pedido, a senadora Vanessa Grazziotin, do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), disse que o «agravamento dos problemas na região pode estar relacionado com os cortes orçamentais sofridos pela Funai».

«Isso resultou na suspensão das actividades de cinco bases de protecção a índios isolados na Amazónia, deixando esses povos sem defesa contra garimpeiros [mineiros], fazendeiros e madeireiros», criticou a senadora comunista.

A 29 de Agosto último, o Ministério Público Federal no Amazonas, em conjunto com a Polícia Federal, abriu uma investigação sobre o alegado massacre de indígenas isolados na Terra Indígena Vale do Javari. Existe a suspeita de que um grupo de mineiros ilegais tenha executado pelo menos dez pessoas, incluindo mulheres e crianças, nas imediações dos rios Jandiatuba e Jutaí, próxima da fronteira com o Peru.

Responsabilidades de Temer

A organização Survival International descreveu o governo do presidente golpista Michel Temer como «ferozmente anti-índio, com ligações próximas ao poderoso lobby brasileiro do agronegócio e anti-indígena», e acusou-o de ter «grandes responsabilidades» no ataque «genocida» ocorrido recentemente.

Em declarações ao Huffington Post, o director da Survival International, Stephen Corry, disse que «os cortes nos fundos da Funai deixou dezenas de tribos isoladas sem defesa contra milhares de invasores, ansiosos por roubar e pilhar as suas terras».

Para Corry, o «apoio declarado do governo brasileiro àqueles que querem ver os territórios indígenas abertos é francamente vergonhoso e está a fazer retroceder décadas os direitos dos povos indígenas do Brasil».

«Crueldade» contra comunidades tradicionais

Em entrevista ao Brasil de Fato, Joenia Wapichana, a primeira indígena a formar-se em Direito no Brasil, caracterizou como «um acto de crueldade» a ofensiva recente do governo Temer contra os povos tradicionais, na medida em que estes são mais «vulneráveis» e «não têm nenhuma forma de se defender dessa violação», disse.

A advogada considera fundamental parar com o ataque constante à Funai e concluir a regularização das terras indígenas, porque «a gente sabe que o índio sem terra não é nada», disse. No que respeita ao Vale do Javari, defendeu que o Estado brasileiro deve «tomar medidas uregentes para fazer a defesa dos povos que estão ali».

abrilabril

Anuncios

Categorías

Acerca de el comunista (71138 Artículos)
Síguenos en Twitter @elcomunistanet Síguenos en Facebook grupo: el comunista prensa roja mundo hispano Nuestro e mail: elcomunistaprensa@yahoo.com

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: