Anuncios
ÚLTIMA HORA:

Consumidores pagaram mais 510 milhões à EDP

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) estima que a EDP ganhou mais 510 milhões de euros com o regime dos Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC), suportado pelos consumidores de eletricidade nos últimos dez anos.

O regulador da energia divulgou, esta sexta-feira, que estima em 510 milhões de euros o acréscimo pago à EDP pela introdução do regime dos CMEC, entre 1 de Julho de 2007 e 31 de Dezembro de 2017, que ascendeu a cerca de 2,5 mil milhões de euros.

Em comunicado, a ERSE considerou que a introdução dos CMEC «possibilitou a passagem para um quadro menos exigente para os detentores dos centros electroprodutores do que o regime dos Contratos de Aquisição de Energia (CAE), com um acréscimo de custo acumulado que se estima em cerca de 510 milhões de euros».

O estudo concluído agora pela ERSE e enviado ontem ao Governo efectua «uma avaliação crítica do modelo do regime CMEC», em que são «identificados aspetos que a ERSE já havia explicitado aquando do parecer ao projecto de diploma que instituiu os CMEC» (decreto-lei n.º 240/2004, de 27 de Dezembro).

O apuramento dos CMEC, pagos à EDP, deixou de ser feito pela REN – Redes Energéticas Nacionais, e passou a ser responsansabilidade de uma unidade especializada da ERSE, dando seguimento ao Orçamento do Estado para 2017, que prevê que, «durante o ano de 2017, o Governo procede ao ajustamento final dos CMEC».

Assim, o regulador conferiu se os montantes pagos ao longo da vigência do contrato estão em conformidade com o contrato celebrado, desde 1 de Julho de de 2007 a 30 de Junho de 2017, e realizou um estudo sobre o cálculo para os próximos dez anos, entre 1 de Julho de 2017 e 31 de Dezembro de 2027 (data do último contrato).

Os CMEC estão a ser objecto de uma investigação do Ministério Público, que tem como arguido o presidente da EDP, António Mexia, e o antigo ministro da Economia, Manuel Pinho, estando em causa «a investigação de factos subsequentes ao processo legislativo bem como aos procedimentos administrativos relativos à introdução no sector eléctrico nacional dos CMEC».

Os CMEC surgiram para compensar a EDP – então já privatizada em mais de 66% – pela liberalização do sector energético, imposto pela União Europeia em 2003. A empresa, que manteve uma posição monopolista apesar de já ser privada, passaria a receber uma renda fixa pela produção de energia, substituindo os CAE, até então em vigor.

Para além de uma indemnização de mais de 800 milhões de euros, o valor dos CMEC foi renegociado para cima em 2007.

abrilabril

Anuncios

Categorías

Acerca de el comunista (68590 Artículos)
Síguenos en Twitter @elcomunistanet Síguenos en Facebook grupo: el comunista prensa roja mundo hispano Nuestro e mail: elcomunistaprensa@yahoo.com

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: