Anuncios

Ministro de Bolsonaro: Universidade deve ser reservada para a elite

O ministro da Educação de Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodriguez; disse, com todas as letras, que universidade deve ser reservada para as elites. «As universidades devem ficar reservadas para uma elite intelectual, que não é a mesma elite econômica [do país]», afirmou o sujeito em entrevista ao Valor. E ainda completou: «A ideia de universidade para todos não existe».

«A ideia de universidade para todos não existe». A frase não é de um banqueiro ou de um ruralista. É do ministro da Educação de Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodriguez. Ele é taxativo: as universidades são para as elites. «As universidades devem ficar reservadas para uma elite intelectual, que não é a mesma elite econômica [do país]».

Vélez afirmou em entrevista ao jornalista Hugo Passarelli, no Valor Econômico, que não faz sentido um advogado estudar seis anos para ser motorista de Uber: «nada contra o Uber, mas esse cidadão poderia ter evitado perder seis anos estudando legislação». Para o ministro, o «retorno financeiro» dos cursos técnicos é maior e mais imediato do que o da graduação.

O ministro disse que busca um modelo parecido ao de países como a Alemanha. Ele diz que ainda não está em estudo a cobrança de mensalidades em universidades públicas, mas é urgente reequilibrar seus orçamentos. O ministro também defende a redução do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), iniciado por Temer.

O jornalista Hugo Passarelli descreve: «cercado de seus principais assessores e secretários de primeiro escalão durante a entrevista, Vélez diz que elabora apenas as diretrizes do que deverá ser a marca de sua gestão à frente do MEC, com metas alinhadas ao slogan ‘Menos Brasília, mais Brasil’ do governo de Jair Bolsonaro. Os diagnósticos e elaboração de programas ficam a cargo de seus secretários, que ainda estão se debruçando sobre as medidas de gestões anteriores.»

E acrescenta: «tido como ministro da ala dos ‘ideológicos’ de Bolsonaro, Vélez critica o que chama de ideologia de gênero nas escolas, que ensinam ‘menino a beijar menino e menina a beijar menina’. Questionado sobre a inexistência de evidências empíricas que sustentem tal tese, limitou-se a dizer que essa não é uma pauta que o interesse. ‘Mas se houver demanda da sociedade, vamos discutir’, diz. No ano passado, o projeto da Escola Sem Partido, principal síntese dessa linha de pensamento, foi engavetado em Comissão da Câmara. Não está descartada, porém, a volta de sua tramitação.»

A prioridade dos cem primeiros dias no MEC será o programa Alfabetização Acima de Tudo, que será conduzido por Nadalim, cuja experiência anterior era como coordenador da escola de sua família em Londrina, o Mundo Balão Mágico. Ele possui um blog e canal no YouTube onde tece críticas contundentes a educadores de contribuição inquestionável, como Paulo Freire, pedagogo brasileiro mais reconhecido, e Magda Soares, professor emérita da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Fonte: Brasil247 / Valor

Anuncios
About el comunista (53734 Articles)
Síguenos en Twitter @elcomunistanet Síguenos en Facebook grupo: el comunista prensa roja mundo hispano Nuestro e mail: elcomunistaprensa@yahoo.com

Deja un comentario

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.

A %d blogueros les gusta esto: